GUINÉ-BISSAU | Ministro pede produção de sacos alternativos para evitar uso de sacos de plástico


24 de Agosto de 2017, ás 09:18 escrito por UECPLP



O ministro do Ambiente apelou à classe empresarial guineense para se optarem pelo  fabrico de sacos alternativos para evitar o uso excessivo de sacos de plásticos que são prejudicias ao meio ambiente.

António Serifo Embaló falava em conferência de imprensa promovida conjuntamente com os seus colegas da Saúde e  Agricultura, e moderado pelo  Primeiro-ministro, Umaro Sissoco na qual cada governante procedeu ao balanço das actividades levadas a cabo no respectivo pelouro.

 

“A produção de sacos alternativos só irá dar bastante lucro ao empresário que decidir investir na área, porque assim que houver no mercado vamos interditar o uso de sacos de plástico por completo”, disse o ministro do Ambiente.

 

Acrescentou que não há como não usar os sacos de plástico actualmente devido ao  hábito das pessoas,  pelo que uma alternativa deve ser encontrada, o mais rápido possível. 

 

A Guiné-Bissau, segundo o ministro, é um dos países mais vulneráveis  aos efeitos de mudanças climáticas , razão pela qual é necessário se prevenir das possíveis catástrofes naturais.

 

“Prevenir significa conservar a nossa biosfera, evitar a construção de habitações nas zonas húmidas e manter o controle das áreas protegidas , entre outras”, referiu.

 

Embaló  salientou  que o ministério que dirige capacitou  técnicos de diferentes áreas  que participaram  na elaboraçãoão do Plano Nacional de Detecção das alterações climáticas. 

 

“Temos o plano de construção de bacias de detenção de águas e já o implementamos em Badjicunda, sector de Pirada e na tabanca de Benfica, sector de Pitche, ambos da região de Gabu”,disse.

 

Destacou que o seu ministério  já tem disponível  e validada, a Política Nacional de Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, bem como as normas para regularizar o seu funcionamento,  restando apenas a sua implementação. 

 

“Elaboramos as normas para o funcionamento do ministério do ambiente porque entendemos que sem regras é impossível fazer um bom trabalho. Estas normas estão-nos a orientar na nossa tarefa do dia a dia”, disse Serifo Embaló.

 

O ministro anunciou na ocasião a pretensão de elaborar o projecto de  contabilidade  ambiental, tendo acrescentado  que recentemente iniciaram a construção de um centro de serviço ambiental, no Hospital Nacional Simão Mendes.