São Tomé | Plano Estratégico e de Marketing para o Turismo em fase de elaboração


13 de Junho de 2017, ás 10:43 escrito por UECPLP



Membros de todos os estratos da sociedade, reuniram-se num seminário, que pretende recolher contributos para a visão estratégica do turismo. Uma iniciativa da Direcção Geral do Turismo e Hotelaria, que pretende incluir todas as forças vivas do país, no processo estratégico para impulsionar o turismo como factor de desenvolvimento económico e social.

Myrian Daio, Directora Geral do Turismo, que abriu o seminário, recordou aos presentes que o primeiro plano estratégico para o desenvolvimento do turismo data do ano 2001. Previa acções que deveriam provocar um aumento do fluxo turístico na ordem de 25 mil turistas no ano 2010.

Uma meta que segundo a Direcção Geral do Turismo ficou longe de ser atingida. Dados divulgados no seminário, indicam que São Tomé e Príncipe, tem 49 unidades hoteleiras, com um total de 696 quartos e 1454 camas.

Após a elaboração do plano estratégico em 2001, o país acabou por ter o seu primeiro hotel de 5 estrelas. As acções de promoção do destino São Tomé e Príncipe nas feiras internacionais de turismo, permitiram o aumento paulatino de visitas.

A Direcção Geral de Turismo, diz que nos últimos 3 anos, o arquipélago, regista um importante crescimento do fluxo turístico. A isenção de vistos de entrada no país, para cidadãos de quase todo o mundo, terá contribuído para a explosão de visitas.

É neste contexto de pequeno boom turístico, que a Direcção Geral do Turismo, decidiu empenhar-se na elaboração de um plano estratégico e de marketing de turismo. O objectivo principal segundo Myrian Daio, é definir o caminho e as metas a atingir pelo país através da exploração da indústria turística.

O Banco Mundial apoia o projecto, e destacou no país um consultor para ajudar na elaboração da nova estratégia.

Segundo a Directora do Turismo, os recursos e potencialidades já foram inventariados, e os turistas já deram a sua contribuição através de um questionário. Esta quinta – feira foi a vez da sociedade civil e os operadores turísticos darem a sua contribuição para a construção do plano inclusivo para o desenvolvimento sustentado do turismo.

 

Fonte: Téla Nón